“Raya e o Último Dragão”: ecos de um passado mítico e de um presente devastado

Giovanna Chinellato Tolkien (1936, p. 3) escreveu que “dragões, dragões de verdade, essenciais para o mecanismo e ideias de um poema ou conto, são de fato raros”. Raro é uma boa definição para muitos aspectos de Raya e o Último Dragão: protagonista e antagonista mulheres, fortes, líderes e guerreiras; nenhuma menção a um interesse romântico; … More “Raya e o Último Dragão”: ecos de um passado mítico e de um presente devastado

Programação e Caderno de Resumos: I Jornada de Estudos Mitopoéticos — “Monstros e Heróis: Tolkien, Mito e Fantasia”

Confira a programação e o caderno de resumos da nossa Jornada de Estudos Mitopoéticos O Grupo de Estudos Mitopoéticos (GEM), linha subordinada ao Grupo de Pesquisa em Produções Literárias e Culturais para Crianças e Jovens III (CNPq/USP), da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH/USP), realizará a sua primeira Jornada de Estudos Mitopoéticos no … More Programação e Caderno de Resumos: I Jornada de Estudos Mitopoéticos — “Monstros e Heróis: Tolkien, Mito e Fantasia”

Call for Papers: Tolkien as a translator: investigations on Tolkien translation studies

Tolkieniani Italiani, 2021-2022 Leia a chamada em português aqui. Edited by Giuseppe Scattolini and Enrico Spadaro John Ronald Reuel Tolkien was first and foremost a great philologist: words and languages were his bread and butter. Languages that evolved throughout their history, languages near and far, languages that had to be translated. Because Tolkien was also … More Call for Papers: Tolkien as a translator: investigations on Tolkien translation studies

Análise da Guerra na Queda de Gondolin a partir da perspectiva de Sun Tzu

Patrick Queiros Conforme afirmamos neste artigo, de acordo com a obra A Arte da Guerra (séc. III a.C.), de Sun Tzu, há cinco tipos de espiões a poderem ser empregados: nativos, internos, duplos, dispensáveis e vivos. Destes, o personagem tolkieniano Melkor (em versões antigas, grafado como Melko), o Senhor do Escuro, utiliza-se de dois tipos … More Análise da Guerra na Queda de Gondolin a partir da perspectiva de Sun Tzu

“Metafísica da Subcriação”: Um ensaio filosófico sobre os escritos acadêmicos de J.R.R. Tolkien

Eduardo Boheme Não sou filósofo e leio pouco sobre Filosofia. Só essas “não creden­ciais” já seriam o bastante para colocar em xeque a minha própria adequação para resenhar o livro Metafísica da Subcriação: A filosofia do mito em J.R.R. Tolkien, do professor Diego Klautau. Por outro lado, o livro não é feito exclusivamente para os … More “Metafísica da Subcriação”: Um ensaio filosófico sobre os escritos acadêmicos de J.R.R. Tolkien

Quando o amor aparece: “Alegoria do Amor”, de C. S. Lewis.

Igor Gaspar Corria os primeiros anos da década de 1930 e já havia se iniciado a pequena Renascença Literária inglesa, como a chamou o historiador H. Blamires, na qual “uma rede de mentes” brilhantes, como Dorothy Sayers e T.S. Eliot, Graham Greene, Charles Williams e J.R.R. Tolkien, de acordo com Bárbara Reynolds, energizavam-se “umas às … More Quando o amor aparece: “Alegoria do Amor”, de C. S. Lewis.

Curiosidades e tolkienices de quem esteve roverandando

Rosana Rios Faço parte de uma tribo que leu as obras fundamentais de Tolkien em traduções de Portugal, porque no Brasil ainda não existiam. O pior, na época, era não ter com quem comentar… Porém, vivíamos os primórdios da Internet (como se costuma dizer por aí, quando cheguei era tudo mato) e, por felicidade, logo … More Curiosidades e tolkienices de quem esteve roverandando

Tolkien, caligrafia e as escritas insulares

Eduardo Boheme Este texto é uma adaptação da segunda parte deste artigo.Read the full original article here. Pensar em Tolkien como calígrafo é afastar-se um pouco das grandes questões que ocupam os também grandes tolkienistas e olhar detidamente para um grau muito pequeno de sua obra: a forma de uma única letra, particularmente aquelas que … More Tolkien, caligrafia e as escritas insulares

Tolkien na Irlanda: Doutor Honoris Causa

Introdução e tradução: Eduardo Boheme Em 1954, Tolkien recebeu um de seus doutorados honorários, dessa vez pela Universidade Nacional da Irlanda. O discurso de abertura da cerimônia, que aconteceu na Iveagh House, foi feito pelo professor Jeremiah Hogan. Tempos depois, Tolkien recordou-se desse título em uma carta a seu neto, Michael: Aproveitei minhas férias (ou … More Tolkien na Irlanda: Doutor Honoris Causa

Papai Noel é real

Cássio Selaimen Dalpiaz Mês de Dezembro. Tempo de reconciliação. As casas se enfeitam com árvores e luzes. Pessoas atônitas com listas de compras e presentes. Banquetes e comidas especiais. Crianças se recreando com bonecos que acabaram de ganhar. Mais um ano se foi. Nós estamos tratando da época de… Saturno! Pois sim, essas eram as … More Papai Noel é real