‘Doworst’, de J.R.R. Tolkien: um poema desaparecido

Read this article in English. Ronald Kyrmse Doworst é um poema aliterante de J.R.R. Tolkien, com cerca de 2,2 mil palavras, escrito como paródia de Piers Plowman [Pedro Arador], uma narrativa do final do século XIV. No poema medieval o autor, William Langland, descreve a busca pelos personagens alegóricos Dowel (“Faz-bem”), Dobet (“Faz-melhor”) e Dobest … More ‘Doworst’, de J.R.R. Tolkien: um poema desaparecido

“Mr. Bliss” ou “Sr. Boaventura”: excentricidade, “nonsense” e crítica à modernidade 

Cristina Casagrande Um livro-álbum, ou seja, aqueles livros normalmente em posição horizontal, cheios de ilustrações que competem com as palavras, tipicamente voltado para as crianças da educação infantil (ou jardim de infância, como chamavam quando eu era pequena). Desenhos singelos, mas encantadores, um humor simples, por vezes, espalhafatoso. Uma letra de mão corriqueira, pouco ou … More “Mr. Bliss” ou “Sr. Boaventura”: excentricidade, “nonsense” e crítica à modernidade 

Considerações sobre o uso de “Ociente” em O Silmarillion

Franz Brehme Das muitas palavras que podem ter causado estranhamento ao leitor da nova tradução de O Silmarillion, uma em específico me chamou a atenção. Seu emprego demonstra todo o trabalho de pesquisa minucioso que o tradutor e todo o Conselho de Tradução da HarperCollins Brasil têm dedicado à obra.   A palavra à qual … More Considerações sobre o uso de “Ociente” em O Silmarillion

J.R.R. Tolkien: arte, teoria e literatura

Cristina Casagrande Em J.R.R. Tolkien: Author of the Century (2000), o filólogo Tom Shippey sustenta a tese de que o autor de O Senhor dos Anéis tem uma relevância muito maior para a literatura mundial do que simplesmente ser considerado um escritor de um gênero literário estigmatizado. Shippey afirma que Tolkien pode ser o autor … More J.R.R. Tolkien: arte, teoria e literatura

Traduzindo poemas: da marginália hobbitesca aos lais bretões

Por Cristina Casagrande Dentre os diversos críticos de J.R.R. Tolkien, estão aqueles que têm pouco apreço pelos seus poemas. Em uma carta, disse o professor de Oxford: Minha “poesia” recebeu poucos elogios — até os comentários de alguns admiradores geralmente eram desdenhosos (me refiro às críticas de sujeitos de estilo literário próprio). Talvez em boa … More Traduzindo poemas: da marginália hobbitesca aos lais bretões