Átaremma: o Pai-Nosso em alto-élfico

Por Cristina Casagrande e Eduardo Boheme

A tradução que Tolkien fez do Pai-Nosso para o idioma alto-élfico (Quenya) sobrevive em seis versões, possivelmente escritas nos anos 50, que diferem entre si em maior ou menor grau. As seis versões foram publicadas originalmente no periódico Vinyar Tengwar nº 43. No mesmo periódico, encontram-se as quatro versões das orações Aia María (Ave-Maria) e a única versão de Gloria Patri (Glória).

Da primeira para a sexta tradução, nota-se que Tolkien substituiu conceitos físicos por metafísicos. Segundo os editores do periódico (p. 13), Tolkien usou, nas cinco primeiras versões, a palavra élfica menel para traduzir céu (em “que estais no céu”). Contudo, essa palavra se refere, de fato, ao “firmamento”, à “região das estrelas”, o céu físico observável por nós. A ideia de Eru habitando essa região estaria, portanto, em contradição tanto com a visão élfica sobre Eru quanto com a visão teológica contemporânea. Na versão final, Tolkien decidiu-se por utilizar a expressão “i ëa han ëa”, isto é, “que está além de Ëa”. Dessa forma, a palavra “céu” ganha um valor além da matéria física, mais próximo ao conceito cristão de paraíso.

Coisa parecida ocorre com o trecho “assim na terra como no céu”. Se, na primeira versão, temos também a palavra menel para céu, na última, Tolkien resolveu usar a palavra Erumande, sugerindo que o céu é a morada abençoada de Deus.

Confira a versão final da “Oração do Senhor” em Quenya:

Átaremma

Átaremma i ëa han ëa ·
na aire esselya ·
aranielya na tuluva ·
na care indómelya
cemende tambe Erumande :
ámen anta síra ilaurëa massamma ·
ar ámen apsene úcaremmar
sív’emme apsenet tien i úcarer emmen.
Álame tulya úsahtíenna
mal áme etelehta ulcullo : násie :

Releitura, a partir de fac-símile, da sexta versão da oração Átaremma escrita e caligrafada por Tolkien.
Caligrafia: Eduardo Boheme

Obra consultada
Hostetter, Carl F., Arden Smith, and Patrick Wynne (eds.). Vinyar Tenwar, 43, January 2002.

Arte destacada: Rodrigo Catini Flaibam


7 thoughts on “Átaremma: o Pai-Nosso em alto-élfico

  1. Eu não sabia dessa tradução que Tolkien fez do Pai-Nosso para o idioma alto-élfico, eu gostei muito apesar que gostaria que tivessem colocado as 6 versões mostrando as diferenças. Parabéns pelo texto em conjunto! E parabéns pela caligrafia Eduardo Boheme.

    1. Posso te passar o Vinyar Tengwar 43 pra vc ler as versões, Patrick! É muito legal! Tem a Ave-Maria e o Glória tb. No n. 44 tem mais duas orações, a ladainha de Nossa Senhora e “À Vossa Proteção”.

      1. Muito obrigado pela informação Cristina, gostaria sim que me enviasse as versões tengwar 43 e o Ave-Maria, só tem um problema eu não leio em inglês, então não conheço a obra que foi citada na referencia.

  2. Conhecia o texto desta tradução, mas desconhecia a existência de diversas versões e especialmente dos conceitos por trás destas mudanças. Além disso, qualquer texto ganha uma camada estética especial quando passa pela caligrafia do Eduardo Boheme. Muito obrigado por mais essa ótima publicação, Cris!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s