“Mr. Bliss” ou “Sr. Boaventura”: excentricidade, “nonsense” e crítica à modernidade 

Cristina Casagrande Um livro-álbum, ou seja, aqueles livros normalmente em posição horizontal, cheios de ilustrações que competem com as palavras, tipicamente voltado para as crianças da educação infantil (ou jardim de infância, como chamavam quando eu era pequena). Desenhos singelos, mas encantadores, um humor simples, por vezes, espalhafatoso. Uma letra de mão corriqueira, pouco ou … More “Mr. Bliss” ou “Sr. Boaventura”: excentricidade, “nonsense” e crítica à modernidade 

Considerações sobre o uso de “Ociente” em O Silmarillion

Franz Brehme Das muitas palavras que podem ter causado estranhamento ao leitor da nova tradução de O Silmarillion, uma em específico me chamou a atenção. Seu emprego demonstra todo o trabalho de pesquisa minucioso que o tradutor e todo o Conselho de Tradução da HarperCollins Brasil têm dedicado à obra.   A palavra à qual … More Considerações sobre o uso de “Ociente” em O Silmarillion

A tradução de Otavio Fatica na Itália: como chegamos a isto?

Este texto representa a opinião de seu autor, Giuseppe Scattolini, e seu conteúdo não necessariamente expressa a posição do site Tolkienista.

Read this article in English on the following page.
The text represents the opinion of its author, Giuseppe Scattolini, and its content does not necessarily express the position of Tolkienista website. … More A tradução de Otavio Fatica na Itália: como chegamos a isto?

Traduzindo poemas: da marginália hobbitesca aos lais bretões

Por Cristina Casagrande Dentre os diversos críticos de J.R.R. Tolkien, estão aqueles que têm pouco apreço pelos seus poemas. Em uma carta, disse o professor de Oxford: Minha “poesia” recebeu poucos elogios — até os comentários de alguns admiradores geralmente eram desdenhosos (me refiro às críticas de sujeitos de estilo literário próprio). Talvez em boa … More Traduzindo poemas: da marginália hobbitesca aos lais bretões